Plataformas de redes sociais bloqueiam perfis de Donald Trump e escancaram perseguição aos conservadores.

Esta última sexta-feira, 08, foi um dia horrível para quem, como nós, defende a liberdade, em especial, a liberdade de expressão.

Aparentemente, houve um grande acordo pela censura entre todas as plataformas de redes sociais que resolveram banir o Presidente Donald Trump. Ele teve seu perfil excluído do Twitter e está bloqueado por tempo indeterminado no Facebook e Instagram.

O motivo alegado para a censura teria sido o descumprimento pelo presidente americano das regras das plataformas. A pergunta é: quais regras? Regras genéricas e vazias que só servem para punir àqueles que incomodam, que falam contra o Politicamente Correto, que são liberais ou conservadores?

A verdade é que já queriam calar o Trump há tempos. Só buscavam um justificativa e o momento oportuno. O momento chegou com sua “derrota” na eleição mais controversa e repleta de indícios de fraude ocorrida na história dos EUA, em novembro de 2020. A justificativa foi a ocupação do congresso americano realizada por manifestantes pró-Trump na última quarta, 06. Acusaram o presidente americano de ser o responsável por ter “incitado a violência”. Violência que sequer ocorreu, já que não houve depredação de patrimônio ou vandalismo. Pelo contrário, uma manifestante pró-Trump foi assassinada e toda a grande mídia se calou! Não se fala mais nada sobre o caso.

Agora imagine se fosse o contrário: Uma manifestação anti-Trump, dos Antifa e Black Lives Matter, invade o congresso americano e um negro é assassinado por seguranças ou policiais. O que vocês acham que teria acontecido? Acham que a reação deles seria pacífica? Ainda existiria capitólio para contar a história? Mas uma coisa é certa: a reação passiva da grande mídia, de artistas progressistas e de todo establishment político. A maioria estaria justificando e passando pano, assim como fizeram ano passado, quando da ocasião da morte do fichado George Floyd, que acabou morto numa abordagem policial.

Nos protestos decorrentes, os Antifas colocaram fogo (literalmente) em várias cidades dos Estados Unidos e depredaram estabelecimentos privados. Vários artistas apoiaram, subiram TAG no Twitter e fizeram campanha a favor dos protestos. A mídia por sua vez classificava os atos como “majoritariamente pacíficos”. Você viu alguma conta de artista, político ou influenciador, ser banida de rede social por defender esses protestos repletos de atos de vandalismo?

Vamos além: se o problema é incitar e glamourizar a violência, por que a conta do ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, ainda está no ar? Um tirano que atenta contra o seu povo e se mantém no controle do país mediante um golpe.

Imagem

Isso que estamos vendo vai muito além de hipocrisia. O que Jack Dorsey e o Mark Zuckerberg (CEOs e mentes maquiavélicas que comandam Twitter e Facebook/Instagram) querem é dar um recado:

– Fiquem calados e aceitem nossos posicionamentos e ideias ou serão censurados. Se nós calamos a voz do presidente dos Estados Unidos, o maior expoente e liderança da direita a nível mundial, você que não será problema. Nós podemos!

Eles não querem as opiniões contrárias ao Politicamente Correto (o fascismo dos dias atuais), não querem as ideias conservadoras em suas redes sociais. Eles escancaram a vontade de nos calar, não escondem mais o ímpeto autoritário. E nós, da direita, que somos taxados de fascistas!

Para completar, a Aplle está ameaçando banir a rede social Parler de sua loja de aplicativos, caso ela não adote as mesmas práticas de censura que Twitter e Instagram, algo que a Google já fez nesta sexta, 08, removendo o Parler da Play Store. E ainda tem inocente que fala que governo mundial e controle social são teorias da conspiração!

Que isso nos sirva de alerta! Amanhã será o Bolsonaro ou qualquer um de nós. Está mais claro do que nunca os objetivos deste jogo sórdido: apagar o Trump da história; silenciar opiniões contrárias de quaisquer influenciadores que sejam de direita sob ameaça de serem “cancelados”, perderem seus patrocínios ou serem banidos por emitirem suas opiniões e preferências políticas; e impor a todos nós a visão de mundo deles. Um verdadeiro Ministério da Verdade!

Eles querem limpar suas plataformas de quaisquer resquícios de movimento conservador que possa tirar mais pessoas da Matrix e tornar possível novos “Trumps” ou “Bolsonaros”. É assim que pensam as mentes doentias e maquiavélicas que controlam as redes sociais e os influenciadores que comemoram e endossam a censura de quem pensa diferente, a exemplo do perfil Sleeping Giants — que busca calar os conservadores tirando seus patrocínios — e do rei da hipocrisia e aberração moral chamada Felipe Neto.

Não é novidade que a esquerda SEMPRE adotou a prática de reescrever a história. É por isso que nos livros didáticos do seu filho o socialismo é o paraíso e o capitalismo o inferno. É por isso que quase nada se fala sobre os terrores do comunismo, das milhões de mortes causadas por ele.

Se a direita não documentar tudo que está acontecendo, em 20 anos os livros de história estarão dizendo que Trump foi um louco que tentou dar um golpe.

1984 já é real! Controle da opinião é só começo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: