“Eu acredito que a gente possa criar uma união de pessoas que querem mudar a sua região ou o seu município.” Diz líder do Direita Pará.

O Direita Sergipana realizou uma entrevista com o líder do movimento Direita Pará, na entrevista foi tratado vários assuntos, como a história, a situação política local, e as perspectivas do movimento e da formação de uma militância bolsonarista.

Confira a entrevista:

Entrevistador: Prof. Elber Magno – “Como surgiu o movimento Direita Pará?”

Entrevistado: Matheus Texeira – “É importante frisar que o movimento Direita Pará é focado em informação, além de convocar para manifestações, e fazer o que um movimento deve fazer, nós focamos muito na informação. A página do movimento no Facebook foi fundada em meados de 2016. Houve uma visita de Bolsonaro a Belém em 2016, houve uma reunião, um jantar, uma recepção, e tiveram no máximo mil pessoas, e algumas dessas pessoas se uniram e perceberam a necessidade de formar um movimento.”

Entrevistador: Prof. Elber Magno – “Você é mesmo da capital, de Belém? E como tá o movimento hoje? Tem muitos coordenadores?”

Entrevistado: Matheus Texeira – “Sim, sim da capital, Belém. Uma coisa que gosto de deixar claro é que seria muito egoísmo meu e dos outros líderes dizer que somos a Direita no Estado do Pará, a ideia do movimento junto com a página do Facebook era dar voz as pessoas, então temos pessoas de Rondônia, do Acre, de Brasília, que são editores da página e postam diariamente, temos também aqui no Estado do Pará pessoas de Marabá, de Altamira, Castanhal, Ananindeua, entre outros interiores…”

Entrevistador: Prof. Elber Magno – “Vocês têm pessoas de fora do Pará dentro do movimento por falta de pessoal no Estado ou por outro motivo?”

Entrevistado: Matheus Texeira – “Longe disso, nós temos pessoas preparadíssimas aqui no Pará para participar disso, para alimentar a página. Quando a gente começou, a gente pensou em fazer um cinturão, e unir Norte e Nordeste, e, por exemplo, temos a jornalista Vick Bacon de Rondônia, que escreve ótimos artigos não só focados em Rondônia, ou no Pará, mas, na política nacional. Passa longe de ser por falta de mão-de-obra aqui, é mais pela união mesmo.”

Entrevistador: Prof. Elber Magno – “Pelo que vi, vocês tem Facebook, vocês tem um portal, esse portal é do movimento ou não?”.

Entrevistado: Matheus Texeira – “Esse portal é o ParáWebNews, ele é de uma pessoa ligada ao movimento, mas, lá a gente noticia de tudo, e quando pode a gente dá uma quebrada à Direita.”

Entrevistador: Prof. Elber Magno – “Eu vejo uma união, por exemplo, no movimento libertário, eles têm uma rede de contatos e realizam eventos juntos em todo o Brasil. Para você, o que falta para os movimentos conservadores de todo o Brasil ter essa união?”

Entrevistado: Matheus Texeira – “Eu acredito que falta muita humildade em muitas lideranças de movimentos conservadores. Se cada um colocar os pés no chão e focar em uma pessoa, como, o Bolsonaro, conseguiremos nos organizar melhor.”

Entrevistador: Prof. Elber Magno – “Vocês tem alguma representação política no Estado? Quando digo representação política falo de vereadores, secretarias, cargo de comissão, entre outros…

Entrevistado: Matheus Texeira – “Não. Eu digo que infelizmente nós não temos, mas, também digo que felizmente nós não temos. O Pará tá polarizado entre dois grupos políticos corruptos, eu dou graças a Deus que não temos um político de estimação aqui, mas às vezes faz falta uma representação da Câmara ou na Assembleia Legislativa.”

Entrevistador: Prof. Elber Magno – “E vocês tem perspectiva de eleger vereadores, e ou prefeitos próximo ano?”.

Entrevistado: Matheus Texeira – “Já estamos conversando com alguns candidatos, sempre com pessoas de oposição, pois, não podemos apoiar quem está junto com esse governo [do Pará], pois, eles sempre estiveram juntos com o PT, e as principais secretarias do governo hoje estão com a esquerda. Posso até falar o nome do candidato, começamos a se organizar com o Major Marconi [candidato a prefeito de Ananindeua], ele é formado em agulhas negras, é major do exército, tem um perfil parecido com o Jair Bolsonaro, e ele já aparece em terceiro lugar em Ananindeua que é a nossa segunda maior cidade na região metropolitana.”

Entrevistador: Prof. Elber Magno – “Qual a sua expectativa sobre a criação dessa rede conservadora em todo o Brasil para que a gente possa realizar campanhas e eventos juntos?”

Entrevistado: Matheus Texeira – “Eu acredito que a gente possa criar uma liga, coalização, união, de pessoas que querem mudar a sua região ou seu município e que possuam as forças políticas e ideológicas necessárias. Eu acredito que quando Bolsonaro morrer, que demore muito, o conservadorismo deva permanecer, então eu acredito que formando uma base conservadora boa hoje, daqui a dez anos mais ou menos conseguiremos ter organizações conservadoras bem consolidadas, acredito de verdade.”

Entrevista na íntegra. Siga o nosso canal no Youtube.

Prof. Elber Magno coordenador do Direita Sergipana.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: