Mais Gusttavo Lima, Menos Duvivier

É muito comum conservadores, liberais e libertários denunciando o aparelhamento da grande imprensa por militantes de esquerda. Mas nunca isso ficou tão evidente no Brasil quanto nos últimos dias, quando o cantor sertanejo Gusttavo Lima passou a ser perseguido pela grande mídia, além da esgotosfera dos blogs financiados por partidos de extrema esquerda, após declarar apoio ao porte de armas, defesa da família tradicional e assumir abertamente que votará no presidenciável Jair Bolsonaro.

Que blogs declaradamente de extrema esquerda, e que só falam para seu público, ataquem o cantor isso é até natural, e pouco importa, todavia, quando veículos de comunicação de grande alcance passam a persegui-lo, numa tática de assassinato de reputação, está claro o aparelhamento ao estilo gramsciano, tão divulgado por direitistas e veementemente negado por esquerdistas e isentões.

 A coisa toda começou no dia 22 de fevereiro quando o cantor num vídeo, em sua conta oficial do Instagram, criticou o Estatuto do Desarmamento e manifestou apoio a Jair Bolsonaro, Deputado Federal e pré-candidato à presidência da República se utilizando de uma demonstração de tiro em um stand nos EUA, sem infringir lei americana alguma. Conforme print abaixo:

20180223180758ICWEbkDKBP

Dias depois, o programa ‘Fantástico’ da Rede Globo veiculou uma matéria no intuito de associar Gusttavo Lima, ao massacre na escola da Flórida e à violência desenfreada, no Rio de Janeiro. Classificando como “polêmica” a postagem do cantor. De prontidão, o mesmo respondeu abertamente e reafirmou o que pensa, veja no link abaixo:

E na mesma semana surge uma denúncia contra o sertanejo, amplamente veiculada na grande mídia e explorada na esgotosfera dos blogs de esquerda:

2

Segundo a denúncia o artista aumentou a represa de uma fazenda que possui em Bela Vista de Goiás, Região Metropolitana de Goiânia, sem possuir licença para a obra. O cantor procurou se defender publicamente em redes sociais:

3

Ainda sim, procurando desgastar a imagem do cantor, a imprensa continuou explorando o caso de forma embaraçosa aos moldes das ditaduras que mundo afora procuram difamar dissidentes.

Agora vejamos uma coisa interessante ocorrida na mesma semana (anteontem), o queridinho dos socialistas do Leblon, Gregorio Duvivier, pseudo-humorista, fez a seguinte postagem em sua conta no Facebook:

duvivier

Eis o link: https://www.facebook.com/gregorioduvivier/photos/a.397668916961740.91709.203544913040809/1711582688903683/?type=3

Pois bem, certamente os pequenos blogs de esquerda apoiaram, contudo, a grande mídia: Folha de SP, Globo, e congêneres ignoraram completamente o fato de que uma pessoa muito famosa (não muito talentosa, mas famosa), fez uma postagem realmente polêmica, afinal plantar maconha em casa é crime:

O que diz a lei É a lei 11.343 de 2006 que define o que acontece com quem é pego cultivando maconha. As penas são as mesmas aplicadas para quem apenas porta a erva: duras para quem trafica e bem mais brandas para quem produz para consumo próprio. A rigor, consumir maconha é crime no Brasil, apesar de as penas nesses casos serem leves. Quem planta maconha para consumo próprio pode ser punido com advertência sobre o efeito das drogas, prestação de serviços à comunidade e exigência de comparecimento a programa ou curso educativo. Se a finalidade for tráfico, as penas podem ser reclusão (5 a 15 anos) e multa.

 Vejamos alguns casos parecidos ocorridos com gente comum:

 No final de março de 2016, um médico de 29 anos foi preso após a polícia encontrar dois pés de maconha, uma estufa para cultivo e uma porção da erva na sua casa em Porto Alegre. Ele foi autuado por tráfico de drogas, apesar de não haver confirmação de que vendia o produto. À polícia, ele alegou que a maconha era para consumo próprio e que sequer sabia que era crime plantar a droga.

Em 2012, Geraldo Antonio Batista, ou Rás Geraldinho Rastafári, foi preso após a polícia encontrar 37 pés de maconha plantados na igreja rastafári que liderava, a Primeira Igreja Niubingui Etíope Coptic de Sião do Brasil. Batista foi condenado a 14 anos de prisão e a pagar uma multa de R$ 2.132 pelos crimes de tráfico e associação para o tráfico. Na sentença, o juiz se embasa em testemunhos de jovens que afirmavam ir ao local para fumar maconha como alternativa a comprar a droga em bocas de fumo

E aí jornalistas da grande mídia, vão ignorar mesmo essa polêmica? Ou vão admitir que vocês estão completamente infiltrados na imprensa para fazer militância de extrema esquerda.

Para quem não sabe, Gusttavo Lima, filho de lavadeira, começou sua carreira aos nove anos de idade. Autodidata, Gusttavo toca violão, viola, guitarra, piano, bateria, baixo e sanfona. Aos 13 anos, tentou seguir carreira em Brasília por sugestão de um conhecido que se comprometeu a buscá-lo assim que ele chegasse e ligasse. Quando chegou na rodoviária, ligou várias vezes do orelhão, mas não foi atendido. Passou fome e dormiu no chão da rodoviária por três dias, sobrevivendo apenas tocando guitarra e cantando para que as pessoas deixassem um dinheiro para ele poder comer. No quarto dia, o homem apareceu para buscá-lo, e o deixou morar nos fundos de sua casa e ser músico dele. Passou um tempo sendo guitarrista da dupla Jhonny & Rahony, a qual o Jhonny deu abrigo para ele na época. Só que Gusttavo queria mesmo era cantar e não só tocar, então deixou a dupla e foi cantar sozinho. Gusttavo acabou estourando em todo o país.

Duvivier tem pais no meio artístico e pelo lado paterno, descende do comendador Theodoro Duvivier. Cresceu em berço de ouro, o que facilitou sua entrada (pouco talentosa, por sinal) para o meio cultural.

Pois bem, a grande mídia considera polêmica a forma de pensar do menino de origem humilde que obteve sucesso pelo seu esforço e talento como cantor (independente do estilo musical que ele siga), mas passa a mão na cabeça do playboyzinho do Leblon, que passou a infância em colégio caro fumando maconha no banheiro.

De fato, pra mim pouco importaria a origem financeira de ambos se não fosse justamente uma bandeira da esquerda, e muito explorada pela grande mídia. Contudo, essa semana parece que não estava valendo o “conflito de classes”…

É importante, também, frisar que o objetivo desse pequeno artigo não é censurar qualquer meio de comunicação. Mas sim, servir de alerta a quem interessar de que sim, escolas, universidades (lembram do curso sobre o “golpe”?), grandes veículos de comunicação, música, literatura, cinema e tantos outros meios artísticos estão quase que completamente aparelhados por militantes de esquerda, e que acima da disputa política, existe uma disputa cultural que deve ser feita ocupando os espaços mantidos por esses sujeitos há décadas, e não somente resmungando por aí.

midia

Clayton de Souza

Sou apoiador da Direita Sergipana na cidade de Tobias BarretoSE, tenho vários artigos postados no blog da Direita Sergipana, 04 livros publicados e sou responsável pela página Liberal/Conservadora “Atlante Online”.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: