Predadores Versus Produtores

Ando meio ocupado com a finalização do meu próximo livro (lançamento previsto para fevereiro de 2018), por isso não tenho elaborado textos para o Direita Sergipana, em virtude disso, após vários dias resolvi marcar meu ponto aqui publicando um texto do Stephen Kanitz muito interessante, que define bem o maniqueísmo humano que tantos insistem em negar, com aquele papo-furado (e sórdido) de que “não existe apenas esquerda e direita”, e para não ter que soltar sempre um palavrão quando vejo isso, prefiro deixar hoje esse texto muito bem elaborado.

Predadores Versus Produtores

pt_evolucao

Existem duas espécies humanas no mundo convivendo lado a lado, e não uma somente, o Sapiens como Yuval Harari acredita, no livro de mesmo nome.

Historiadores ainda não perceberam que é essa coexistência que explica 90% dos conflitos históricos humanos.

A luta de classes não é entre ricos e pobres, como afirma Marx.

E sim entre duas espécies, o Homo Predadoris e Homo Produtoris, como sugere Kanitz.

Essas duas espécies são geneticamente determinadas, por isso é impossível convencer uma espécie a mudar de lado.

Nem percam seu tempo.

Os “Homo Predadoris” são aqueles descendentes dos caçadores coletadores, povos nômades que abocanhavam tudo grátis, como era no Paraíso.

Andam e agem sempre em grupos, e não acumulam bens materiais. Eles não querem ter teto, muito menos terras, só querem dinheiro.

Esses predadores acreditam na “a união faz a força”.

São geralmente polígamos, do tipo “ame-a e deixe-a”, ala José Dirceu e Bill Clinton.

Acham que o Estado deveria cuidar dos filhos seus, sempre grátis, saúde, merenda, educação, etc etc.

São violentos e bélicos, que aprenderam da época que caçavam animais, especialmente mamutes.

Os “Homo Produtoris”, por sua vez, são aqueles descendentes dos primeiros agricultores, aqueles que extraíam comida de seu próprio esforço e trabalho.

São monogâmicos, pacíficos, comunitários, e jamais invadem a propriedade de outros.

Só se preocupam com armas para defenderem a propriedade que lhes possibilita extrair comida.

Acreditam em poupança e em deixar uma herança, a terra cultivada para seus descendentes.

Quando os nômades “Homo Predatoris” dizimaram todos os mamutes, ou seja, saíram do “Paraíso”, passaram a ter fome.

E usaram seus dotes para tomarem pela força ou impostos, os estoques de comida criados dos Produtores.

“Vocês produziram um excedente, produziram muito mais do que consomem.”

“Portanto, estes estoques de comida pertencem ao Social, aos necessitados que somos nós.”

“Nada disso. Estes estoques de comida são reservas para os anos de recessão, vocês é que vivem de dívidas públicas.”

“E pior, como vocês nunca plantaram algo na vida, nem sabem que estes estoques são as sementes necessárias para os próximos plantios.”

A história do mundo é a história de como os Homo Predatoris querem escravizar os Homo Produtoris.

Via a “democracia da maioria”, do Estado Forte, dos impostos, dos tributos, das taxas, das licenças para trabalhar, do bônus de antecipação, do imposto de herança e causa mortis.

Em 2018 iremos mais uma vez enfrentar essa disputa entre essas duas espécies.

Façam o teste que confirma a minha tese.

A figura abaixo é de um “Homo Produtoris” ou de um “Homo Predatoris”?

Essa foto é verdadeira, nem foi produzida aqui no Brasil.

Stephen Kanitz

Clayton de Souza

Sou apoiador da Direita Sergipana na cidade de Tobias BarretoSE, tenho vários artigos postados no blog da Direita Sergipana, 04 livros publicados e sou responsável pela página Liberal/Conservadora “Atlante Online”.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: